Não Diga, Mostre! O Segredo do Currículo que Salta da Página

Qual o segredo do currículo que fica na memória de um recrutador?

O segredo é escrever de uma maneira que pinta uma imagem bem viva na imaginação do recrutador.

A maioria dos currículos não faz isso. Então, se você o fizer, seu currículo ficará bem a frente da sua competição. Na maioria do casos, quando o recrutador terminar de examinar a pilha de currículos, o seu some será o único que ele lembrará.

Mas como você pode ter certeza que este método realmente funciona?

Imagine que você é um recrutador. Seu objetivo é selecionar cinco candidatos para uma entrevista. Depois de já ter escolhido quatro deles, você está tentando selecionar um último. À medida que você analisa a pilha de currículos, você encontra dois que descrevem exatamente o tipo de pessoa que você procura ― mas você só pode escolher um deles para a entrevista. Qual escolherá?

Antes de lhe apresentarmos os candidatos, note o contexto:

Você gerencia uma equipe de crânios da informática. Estes são programadores habilidosos, muito bons no que fazem, mas com personalidades muito particulares. Eles gostam de rotina, ficam ansiosos com mudanças e embora estejam dispostos a trabalhar horas extras, conforme necessário, não são nada pontuais. Agora, você está buscando um novo membro para a sua equipa. Esse novo membro trabalhará em conjunto com eles no sentido de criar uma versão Android do aplicativo para iOS que eles têm vindo a desenvolver.

Aqui estão as principais características que você procura:

  • Capacidade para trabalhar e lidar com pessoas difíceis.
  • Disponibilidade para trabalhar horas extras.
  • Experiência de programação no ambiente Android.

Agora, você tem dois currículos bem na sua frente. Qual deles você escolherá?

Vamos dar uma olhada nos parágrafos introdutórios de cada um deles. Lembre-se, essas duas pessoas possuem as 3 características principais que você está procurando. Qual delas você escolhe?

Perfil Profissional de João Michael

João Michael tem trabalhado na área de desenvolvimento de aplicativos durante a maioria da sua vida. Ele é um programador habilidoso, um grande trabalhador em equipe e uma pessoa altamente empática. Sua vontade de trabalhar até que o serviço esteja terminado se tornou uma de suas marcas registradas em todas empresas onde ele trabalhou.

Perfil Profissional de Emanuel Santos

Emanuel Santos desenvolveu 22 aplicativos para a App Development Corp nos últimos 3 anos, onde também integrou uma equipe de 9 programadores altamente qualificados em 2 projetos de conversão de apps de iPhone para Android. Nesse meio tempo, dois de seus projetos independentes geraram mais de 180.000 downloads nos primeiros 6 meses após o lançamento.

Pergunte-se, qual destes homens:

  • Pesquisou a oferta de trabalho antes de enviar seu currículo?
  • Lhe disse que era capaz de trabalhar em equipe e que era um programador habilidoso e uma pessoa dedicada, sem nunca mencionar nenhuma destas caraterísticas diretamente?
  • Se você tivesse que escolher apenas um deles para uma entrevista, quem você desejaria conhecer melhor?
  • Se você tiver escolhido Emanuel, eu concordo que você fez uma boa escolha. Na verdade, eu não ficaria surpreso se fosse continuasse a se lembrar de Emanuel por algum tempo, enquanto a memória de João se desvanece.

Por que o Perfil Profissional de Emanuel é melhor do que o de João?

Porque apesar de ambos terem referenciado o mesmo conjunto básico de qualificações e qualidades pessoais, apenas Emanuel fez uso de uma habilidade inata aos melhores romancistas, uma técnica tão importante que ganhou sua própria designação: Não Diga, Mostre ― do inglês “Show, don’t tell” (muitas vezes chamado também de “Mostre, não diga,” que é uma tradução mais linear do original inglês).

O que é o Não Diga, Mostre?

Vamos parar de falar de currículos por um momento, e olhar para o Não Diga, Mostre em ação em uma história de ficção comum. Veja se você nota a diferença.

Assim é Dizer:

Ricardo era o tipo de cara que sofre muito com ansiedade. Apesar de possuir uma personalidade agradável, ele se preocupava demais em causar uma boa impressão.
Esta faceta de sua maneira de ser se revelava de modo especial quando lidava com seu novo interesse amoroso, Amanda, tal qual o novo buquê em suas mãos revelava, pois fora já o segundo que ele comprara hoje.
Indeciso, Ricardo acabaria por voltar na florista ainda uma terceira vez, pois não conseguia parar de se preocupar com a forma como Amanda reagiria quando recebesse seu presente.

O que aprendemos deste breve relato?

  • Que Ricardo é um cara legal que sofre de ansiedade.
  • Que seu objetivo é impressionar Amanda.
  • Que Amanda é o interesse amoroso mais recente de Ricardo.
  • Que Ricardo já comprou flores duas vezes hoje, mas se arrependeu e está indo na florista pela terceira vez.

Mas, por que você sabe tudo isso? Porque o texto lhe disse. Isso é Dizer. Agora, vamos dar uma olhada no que é o Mostrar:

Ele verifica seu relógio. 18:40. “Relaxe. Você tem tempo,” Ricardo diz para si mesmo. Em pé diante da estrada, ele verifica o buquê pela quarta vez. Pegando em um dos lírios, ele o puxa para cima, tentando que ele se destaque. Não resulta.

Atrás dele, espreitando pela montra, as duas floristas cochicham entre si, rindo ao observarem o modo desajeitado de Ricardo. “Será que ele vai estragar novamente o buquê?” elas se perguntam.

Olhando para os dois lados ― duas vezes, só para ter certeza ― ele inicia sua marcha. À medida que atravessa esta estrada pela quarta vez, caminhado na direção oposta da florista, ele se pergunta se não deveria antes ter comprado rosas. Afinal, ele sabia que essas eram as favoritas de Amanda.

“Rosas são tão comuns. Ela já as deve ter recebido uma dezena de vezes. Relaxe Ricardo você fez a escolha certa. Mas pensando melhor… Lírios! Em que eu estava pensando? Tenho de voltar à loja de novo!”

Você notou como o escritor nos revelou bastante informação sobre Ricardo sem nunca o caracterizar diretamente?

Além disso, também aprendemos que havia um relacionamento entre Amanda e Ricardo, mas de forma indireta. Isto é mostrar. Quando nós mostramos ao leitor como as personagens interagem umas com as outras e consigo próprias, estamos deixando que o leitor seja o juiz. Dessa forma, é o próprio leitor que caracteriza os personagens por nós. Baseando-se nas ações que ele observa, o leitor constrói uma imagem mental da personalidade e dos gostos de cada personagem muito mais rica e dinâmica do que se simplesmente lesse uma lista de adjetivos. Além disso, essa riqueza é alcançada de uma forma interessante e memorável.

Em essência, dizer lhe apresenta uma lista de fatos e espera que você os aceite sem contestar. Mostrar, por sua vez, pinta imagens em movimento em sua mente e o convida a chegar a suas próprias conclusões.

Como aplicar o Não Diga, Mostre a um currículo?

Assim como o Sr. Santos fez, quando descrevemos ações específicas que realizamos e os resultados que obtivemos, nós estamos deixando que seja o recrutador a decidir quais são nossas qualidades e características pessoais. Sendo que é o recrutador a traçar suas próprias conclusões, e sendo que essas mesmas conclusões são baseadas na evidência que lhe é apresentada, ele tem pouco espaço para duvidar delas.

Na pior das hipóteses, ele poderá duvidar da veracidade da informação fornecida. “Será que os aplicativos que Emanuel desenvolveu realmente tiveram todos aqueles downloads?” ele talvez se pergunte. Esse, no entanto, é o tipo de pergunta que o recrutador estaria ansioso para fazer a Emanuel na entrevista.

Assim que você se apercebe do poder de pintar suas qualidades diretamente dentro da cabeça do recrutador, seu currículo se torna uma arma de destruição em massa. Você pode ver a competição caindo ao seu redor.

Continue usando o Não Diga, Mostre ao escrever o restante de seu currículo. Isto significa que, quando você listar suas qualificações, você precisará ser específico sobre o que você fez e os resultados que obteve. Você será capaz de fazer isso facilmente se seguir as perguntas mencionadas em 31 Perguntas Diretas Para Criar um Currículo Poderoso, Mesmo Se Você Nunca Trabalhou na Vida.

Por exemplo, “Eu tenho uma grande capacidade de comunicação” se tornará “Eu sou escolhido regularmente para dirigir as apresentações da equipe.”

“Eu tenho grandes habilidades de gestão de tempo” ficará “Estou acostumado a trabalhar com um prazo apertado e mesmo assim concluir o projeto a tempo,” e assim por diante.

Este método também funciona muito bem em entrevistas.

Afinal, as aptidões que você necessita possuir para brilhar em uma entrevista não são muito diferentes do que estamos descrevendo aqui. Porquê?

Porque na entrevista você também deverá responder a quaisquer perguntas pessoais através da partilha de pequenas histórias que destaquem suas principais habilidades e características pessoais. Histórias essas que, embora não digam diretamente quais são suas principais capacidades, estão na verdade pintando essas conclusões bem dentro da mente do entrevistador. Basta então, que você prepare 2 ou 3 breves relatos para cada qualidade que você deseja introduzir na mente do entrevistador.

Usar o Não Diga, Mostre é fabuloso, mas você pode otimizar seu currículo ainda mais ― detonando definitivamente sua concorrência. Como? Aprendendo 3 Segredos Fascinantes e passando a usar as mesmas ferramentas que as grandes figuras do mundo do marketing têm usado por décadas ao tentarem, e conseguirem, vender aos seus clientes todos os tipos imagináveis de produtos. Esse é nosso próximo artigo.

Comentários

Comentários