3 Segredos Fascinantes Para Otimizar Seu Currículo

Você sabe como otimizar um currículo?

Deixe que eu lhe apresente Joel. Joel tem 19 anos e muito pouca experiência de trabalho. Em seu currículo, na seção sobre Experiência Profissional, ele tem apenas esta entrada:

Experiência Profissional: 

Operador de Caixa, Wallmart, Setembro de 2015 até ao presente

  • Meu trabalho envolve registar os produtos que os clientes compram.

Notou o que Joel fez?

Ele fez o que a maioria das pessoas faz na hora de preparar seu currículo. Ele escreveu seus detalhes de modo claro e sucinto. Ao mesmo tempo, ele se pergunta porque não está recebendo aquele convite para uma entrevista.

Agora dê uma olhada no currículo do colega de Joel, João:

Experiência Profissional: 

Operador de Caixa, Wallmart, Setembro de 2015 até ao presente

  • Meu trabalho envolve registar milhares de produtos diariamente.
  • Presto atendimento a mais de 100 pessoas cada dia.
  • Procuro sorrir ao cumprimentar cada cliente e reagir com empatia quando alguém demonstra uma atitude agressiva.

Viu a diferença? João aplicou os conselhos deste livro.

Qual deles você chamaria para uma entrevista? João, sem dúvida.

Será que um recrutador pensaria da mesma forma?

Considere o seguinte:

Um recrutador precisa analisar centenas de currículos. A maioria é igual ao de Joel. Está bem redigido, mas parece uma cópia de todos os outros.

Agora, imagine só quando o recrutador pegar no currículo de João.

Porque João se destaca?

Não é o caso que lidar com muitas pessoas ou registar produtos seja algo impressionante em si mesmo. O ponto é que o currículo de João pinta uma imagem em nossa mente, conseguimos imaginar o que é ser o João e enxergar o ser humano real que ele é, trabalhando atrás de sua caixa e sendo bem sucedido em suas muitas interações diárias com cada cliente.

Mais ainda, sem ter de o dizer, João nos revela que é alguém atento ao detalhe, interessado nos outros e capacitado para lidar com pessoais difíceis.

Quem não gostaria de entrevistar João?

Como você pode otimizar seu currículo para pintar uma imagem inesquecível na mente de um recrutador?

A arte do copywrite ― ou, dito de modo mais detalhado, a arte de redigir um texto que procura convencer o leitor a tomar uma ação, que normalmente envolve comprar algo ― é frequentemente associada com banha de cobra. Isso é um bom sinal. Por quê? Porque significa que as palavras certas, por si só, podem convencer alguém a comprar praticamente qualquer coisa, até mesmo o que não tem qualquer valor intrínseco.

Agora, com isso em mente e olhando para sua lista de atributos pessoais, qualificações e competências, deixe que eu lhe faça uma pergunta:

Você será uma adição valiosa para sua futura empresa?

Então, se as técnicas de copywrite podem convencer alguém a adquirir o que não tem valor, quanto mais essas técnicas não ajudarão você a influenciar o recrutador a escolhê-lo para a entrevista, dado o quão valioso você será para o seu futuro empregador. De fato, ao aprimorar seu currículo de acordo com os princípios fundamentais do copywrite você garantirá que toda a sua singularidade é apresentada na melhor luz possível.

O que é Copywriting?

Bom copywrite não envolve empurrar um produto ou soar banal. Quando você está vendendo, bom copywrite envolve entrar no diálogo ocorrendo dentro da cabeça do seu futuro cliente. Você fala diretamente às suas preocupações, expetativas e emoções.

Quem é o cliente aqui? O recrutador. E o que você está tentando lhe vender? Você mesmo. Um bom currículo é nada mais do que um texto de apresentação convincente, construído para mover quem o lê a querer comprar uma entrevista com você.

Como você pode escrever copywrite impressionante que converte leitores em compradores?

  1. Primeiro, você adquire informação sobre os problemas que eles estão enfrentando e quais as suas necessidades ― as preocupações que os mantêm acordados de noite e que ocupam sua mente durante o dia.
  2. De seguida, você prepara um produto ou um serviço de alta qualidade que resolve esses mesmos problemas e satisfaz as necessidades de seus prospetivos clientes.
  3. Depois, você prepara uma apresentação, uma carta de vendas, ou um discurso, onde fala diretamente ao coração de seus futuros clientes e lhes mostra claramente como seu produto, ou serviço, resolve seus problemas.
  4. Por fim, você lhes vende um produto ou serviço que lhes dá ainda mais do que o que eles estavam esperando receber, juntamente com um apoio ao cliente bem acima da média. Dessa forma, você irá criar uma boa reputação no mercado e ganhar a confiança e lealdade dos seus clientes.

Como você pode ver, não há realmente nada de errado com o copywrite. É apenas o nome dado à arte de convencer alguém de que você tem o que eles procuram. Se eu tiver um problema que me está incomodando muito, e alguém tiver a solução, eu quero que essa pessoa seja capaz de me convencer a adquirir o produto que ela está vendendo. Porquê? Porque eu quero resolver meu problema. Me dê a solução a um preço razoável e eu lhe entregarei meu dinheiro com prazer.

Então, por que o copywrite tem má reputação? Porque as pessoas mentem. Se um vendedor aparece à sua porta prometendo muito você desconfia e tem razões para isso. Com frequência, vendedores de serviços ou produtos prometem muito e depois seus produtos falham em corresponder às expectativas. Mesmo que essas pessoas estejam cientes dos problemas e das necessidades dos consumidores, e mesmo que eles sejam bem sucedidos em nos convencer que seu próprio produto fornecerá a solução, estes vendedores sabem bem que não têm solução nenhuma para oferecer. A ganância é a única força que os move. Eles não poderiam se importar menos conosco, eles só querem o nosso dinheiro.

Isto é o que o recrutador teme ao analisar cada currículo ― que quem o escreveu esteja exagerando quando descreve a sim mesmo como altamente qualificado em uma determinada área. Daí a vantagem de falar sobre o que você fez e os resultados que as suas ações alcançaram.

Copywrite aplicado à construção de um currículo superior

Já vimos como descobrir as necessidades e os requisitos do nosso futuro empregador através do uso combinado de pesquisa e de empatia.

Também já temos o produto de alta qualidade que atende a essas necessidades e satisfaz os requisitos: nós mesmos.

Agora, queremos fazer com que o nosso currículo transmita essa mensagem da melhor maneira possível.

Para efeitos de construção de um currículo superior, queremos nos concentrar em duas áreas relacionadas com a arte do copywrite:

  1. Proporcionar um texto fácil de ler.
  2. Ser memorável.

Portanto, analisaremos agora a neurociência de cada uma dessas áreas. Compreender os processos neurológicos subjacentes nos permitirá entrar na mente do recrutador e, mais uma vez, enxergar o mundo de sua perspectiva. Isso nos permitirá saber exatamente o que fazer para atiçar ainda mais seu interesse em nós.

Segredo 1 –  Aprenda a Evitar a Armadilha da Repulsa

A partir das pesquisas do economista Daniel Kahemann, aprendemos como 2+3 tem uma aparência muito melhor do que 245+542. Experimente você mesmo. Quando você olha para 2+3, o seu cérebro grita “Cinco!” sem esforço. Mas o caso é diferente com 245+542. Ao olhar para essa conta, você consegue perceber que até a poderia resolver, mas você também sabe que isso exigiria esforço. Agora, o que acontece é que nosso cérebro está projetado para evitar exercer esforço mental sempre que possível. Quando você é forçado a exercer esse esforço, você sente o que é chamado de repulsa.

Teste você mesmo. Obrigue-se a resolver esta conta de cabeça, 245+542. Notou as alterações que ocorreram de imediato dentro de si? A não ser que você ame aritmética, seu estômago se comprimiu um pouco, seus músculos tensionaram e, caso você deteste mesmo todas as formas de matemática, até terá sentido um certo nível de náusea. Isso é o sentimento de repulsa e é uma das emoções primárias dos seres humanos.

Estamos acostumados a associar a repulsa com o cheiro de comida podre ou com o avistamento de uma imagem perturbadora. No entanto, a repulsa é um mecanismo de proteção muito mais geral. A toda a hora, nossa mente inconsciente tem de decidir se um estímulo é demais para nós ou não e, se for, o nosso corpo se modifica para facilitar rejeitar esse mesmo estímulo. Como podemos exemplificar isso?

Mais uma vez, a comida estragada nos fornece um exemplo familiar. Assim que você sente o cheiro a podre pode facilmente sentir seu corpo se constringindo e seu sistema digestivo se modificando para promover a expulsão de comida, ao invés de se preparar para a digerir.

O que muitas vezes não nos apercebemos, é que outras pessoas ou coisas, podem provocar essa mesma emoção em nós. O que acontece é que, da mesma forma que nosso corpo tem dificuldade em digerir alimento estragado, nossa mente também tem dificuldade em processar uma interação com uma pessoa difícil.

Pessoas complicadas são desgastantes para nossa psique. Não é de admirar então, que o simples pensamento de passar uma tarde com uma dessas pessoas possa contrair todo o nosso corpo, como se nossa mente nos dissesse que rejeita lidar com essa pessoa com a mesma intensidade com que nosso sistema digestivo rejeita digerir uma refeição estragada.

A repulsa, ou nojo, é uma emoção que é ignorada com frequência. No entanto, é um dos nossos maiores inimigos. Se um currículo faz com que o recrutador sinta repulsa, estaremos aumentando nossas chances de que ele acabe na lixeira. Isso é preocupante, especialmente quando você considera o quão fácil é provocar repulsa em outros.

Às vezes, estar cansado é tudo o que é necessário. Quando você está cansado, até mesmo o pensamento de resolver 41+27 pode fazer com que seu estômago se contraia em sinal de repulsa.

Consegue se recordar de uma altura em que não lhe apetecia ver ninguém? Talvez você estivesse se sentindo com muito sono ou talvez simplesmente estivesse se sentido muito desgastado depois de um dia de trabalho intenso. Em momentos como esses, até mesmo a ideia de lidar com um ente querido pode causar certo nível de repulsa. Nessas alturas, é como se o nosso cérebro nos estivesse dizendo: “Eu me recuso a processar informação! Eu quero é descansar! Ouviu?”

Apesar de tudo, há boas notícias. Quanto mais fácil de digerir for seu currículo, tanto maiores as chances de ele acabar sendo lido e assimilado, mesmo que quem o acabe lendo esteja já cansado. E, visto que a maioria das pessoas desconhece esse detalhe, ao levar em consideração estes fatores você estará novamente um passo à frente da sua concorrência.

Como então, você pode evitar a armadilha da repulsa?

Use marcadores (bullet points) sempre que possível. Marcadores são bem mais fáceis de ler do que um bloco de texto. E fácil significa agradável. Pegue qualquer página de internet que lhe tenta vender um produto e verá que todas elas fazem uso liberal de marcadores. Por que razão? Porque funciona.

Use um tipo de letra que seja fácil de ler, em um tamanho que não exija que seu leitor exerça muito esforço mental. Alguns sugerem Time News Roman, Arial ou outro tipo de letra familiar, até o tamanho máximo de 12. Talvez se recorde que já abordamos este ponto quando falamos sobre a necessidade de ser familiar. Algumas pessoas procuram se destacar usando tipos de letra difíceis de ler. Agora você percebe por que isso é uma péssima ideia.

Use uma linguagem simples e direta. Será que um adolescente compreenderia a linguagem de seu currículo? Se não, seu currículo talvez esteja usando construções frásicas excessivamente complicadas. Lembre-se que a complexidade é amiga da repulsa.

Evite o uso de siglas ou acrônimos pouco conhecidos. Antes de escrever as iniciais de uma empresa, curso, ou qualificação acadêmica, garanta que se tratam de siglas ou acrônimos bem conhecidos pela pessoa que lerá seu currículo. Caso contrário, escreva antes por extenso ou mantenha a sigla, mas ao mesmo tempo, adicione o significado por extenso e entre parêntesis.

Estimule outras emoções. Quando você é conciso e direto, fornecendo exemplos concretos de suas qualificações de uma forma que permite que o leitor infira suas qualidades, você cria picos de dopamina no cérebro dele. Estes picos surgem sempre que o recrutador encontra um detalhe em seu currículo que coincide com o que ele está procurado. A dopamina é um neurotransmissor cujos efeitos estão em oposição direta à repulsa.

Segredo 2 – Adicione os Detalhes Corretos: Nomes e Números

O quanto um currículo é memorável depende da quantidade e qualidade dos detalhes que você adiciona. Os próximos dois exemplos demonstram claramente esse ponto.

Exemplo 1:

Ruim: Manuel é um excelente gestor de seu tempo, o que lhe permite completar até mesmo as tarefas mais exigentes dentro do prazo estipulado.

Melhor: José trabalhou em vários projetos e sempre os concluiu a tempo, mesmo quando alguns dos prazos foram reduzidos sem aviso prévio.

Fabuloso: Carlos participou em um projeto de 12 meses, que foi completado em 10, permitindo assim que sua empresa aumentasse a margem de lucro em 6%.

Exemplo 2:

Ruim: Susana possui excelentes competências interpessoais.

Melhor: Margarida já foi escolhida para trabalhar em diversos tipos de equipes, mediando com sucesso vários conflitos que surgiram dentro dessas mesmas equipes.

Fabuloso: Alice esteve envolvida em um projeto de quatro meses, onde ela mediou com sucesso pelo menos 13 conflitos que surgiram dentro de uma equipe multicultural, através da aplicação dos princípios da Comunicação Não-Violenta e de técnicas de Terapia Cognitiva Interpessoal.

Você se lembra de Emanuel? Foi isto que Emanuel também fez, além de mostrar em vez de dizer, ele também acrescentou detalhes concretos a seu Perfil Profissional, como o número de downloads e o nome da empresa onde trabalhou.

O que você deve adicionar para otimizar seu currículo e aumentar a probabilidade de ser lembrado?

  1. Nomes.
  2. Números.

Nomes

Ao descrever suas ações, e como elas contribuíram para o sucesso de seu empregador ou da empresa, você também deverá mencionar quaisquer habilidades ou métodos específicos que você usou. Como?

Pergunte a si mesmo:

  • Onde?
  • Quem?
  • O quê?

Números

Usar números específicos também é essencial.

Pergunte a si mesmo:

  • Quantos?
  • Por quanto tempo?

Ao fazer isso, você também estará mostrando quão atento aos detalhes você é, sem ter que dizer isso diretamente. Qualquer um que leia seu currículo será capaz de inferir que você possui essa qualidade e, como você sabe, isso tem uma influência muito mais poderosa e persuasiva do que se você tivesse de dizer “Eu sou uma pessoa que dá muita atenção aos detalhes.”

Segredo 3 – Referencie Lucros e Dinheiro

Ao considerar o uso de números e o quão importante é fazer menção deles, temos de mencionar o dinheiro. O dinheiro é, talvez, o número que mais o ajudará a garantir um lugar na memória do recrutador.

Hoje em dia, estão muito em voga programas de televisão onde um empreendedor tem a oportunidade de apresentar suas ideias perante um grupo de investidores, tentando convencê-los a investir em seu projeto. Em um desses programas, o bilionário Kevin O’Leary é conhecido por perguntar aos empreendedores ‘Como é que isso vai me ajudar a ganhar dinheiro?’ Sua pergunta ilustra prontamente o que você pode fazer para ser memorável: mencione quanto dinheiro você tem ajudado seu empregador ou empresa a ganhar.

Isso é especialmente importante quando você está se candidatando a uma posição em um departamento de vendas. Todos os currículos afirmando “Eu sou um vendedor muito bom” são ofuscados pelo currículo que declara “eu fiz 400 vendas em 12 meses, aumentando os lucros da Blue Bell em 4%”. No entanto, como Richard Maun revela em Job Hunting 3.0, você pode aumentar os lucros de uma empresa de muitas maneiras que não envolvem a venda de produtos. Como?

Por exemplo, algumas empresas dão um prêmio monetário a funcionários criativos que encontram maneiras de resolver problemas. A fim de calcular o valor do prêmio, essas grandes empresas analisam quanto dinheiro a solução que o empregado implementou lhes irá economizar. Depois, o empregado recebe uma pequena porcentagem desse valor. Isto ilustra bem a necessidade de você prestar atenção a como suas ações e bons hábitos de trabalho estão ajudando sua empresa a poupar dinheiro.

Por exemplo, como é que suas capacidades de gestão de tempo e de recursos impactaram os lucros da empresa? Se você tem sido uma peça chave no cumprimento dos prazos, pode ter certeza de que teve uma influência significativa sobre o quanto seus patrões ganharam. Agora é uma questão de calcular o valor.

Agora, o fato extraordinário é que até um cálculo simples pode levar a grandes números ― e rápido. Por quê?

Digamos que você esteve envolvido em uma mudança ou em uma atualização que levou a um aumento nas vendas de um produto ou a um aumento na produtividade. Multiplicando-se a margem de lucro pelo tempo que passou, resultará na obtenção de um número impressionante e real. Talvez você nunca tenha dado importância a isso, mas é algo fundamental para incluir no seu currículo.

Como você pode estimar quanto dinheiro uma ação específica poupou à sua empresa?

Se sempre que você executa uma tarefa salva a sua empresa R$ 100, e se você tem vindo a realizar essa tarefa frequentemente, já por anos, os números aumentam rapidamente. É somente uma questão de fazer uma multiplicação.

Além disso, eu tenho certeza que muitas vezes você já realizou tarefas fora de sua área de conhecimento.

Você pode ter observado enquanto um técnico qualificado realizava um procedimento específico ― e como ele foi bem pago por seus serviços. O que às vezes acontece, é que você acaba aprendendo a fazer o que o técnico fez, e agora você executa essa tarefa técnica de forma rotineira.

Talvez você nunca tenha dado muito valor a essa ação, mas cada vez que você executa uma tarefa fora de sua área de conhecimento, você está economizando dinheiro à sua empresa. Afinal, técnicos especializados podem cobrar bastante ― além de adicionarem à sua fatura os custos de viagem e todas as demais taxas. Simplesmente multiplique uma estimativa desses custos pela quantidade de vezes que você executou a tarefa.

Os números aumentam muito rápido, não concorda?

Mas até que ponto mencionar dinheiro economizado realmente incrementa o poder influenciador de seu currículo?

Para responder a essa pergunta basta comparar “Trabalhei como secretária por 4 anos” com “Economizei mais de R$ 20.000 em meus 4 anos como secretária na Dumont & Dumont, por ter aprendido a resolver duas das anomalias técnicas mais persistentes nas impressoras.”

O que você conclui a respeito da primeira secretária? Não muito, uma vez que “secretária” é um termo muito geral.

E que dizer do segundo exemplo? Será que ele trouxe à sua mente a imagem de uma mulher engenhosa, desembaraçada, capacitada para aprender novas habilidades técnicas e pronta para tomar a iniciativa em salvar o dia?

Se tivesse de se basear apenas neste ponto, qual das duas você chamaria para uma entrevista?

Isso pode funcionar mesmo para empregos que aparentam não acrescentar muito valor ao seu currículo. “Trabalhei 6 meses na Hamburgueria Leonardo” pode fazer você imaginar um adolescente fritando hambúrgueres e batatas fritas. Mas e que dizer de um currículo afirmando “desenvolvido meu próprio método para empilhar carne, alface e tomate, permitindo-me terminar 300 hambúrgueres extras por mês, resultando em um aumento de 1000 Reais em nossa margem de lucro semanal”.

Agora soa muito melhor não concorda?

Essa descrição evoca a imagem de uma pessoa criativa, dedicada e detalhada ― uma pessoa que ajuda seu empregador a ganhar dinheiro. Mas, se você pensar nisso a fundo, 300 por mês é apenas uma dúzia de hambúrgueres extras por dia de trabalho. Nada de especial.

O ponto, no entanto, é que a pessoa redigindo o currículo revelou que se importa, que presta atenção e que está consciente do impacto que as suas ações têm sobre os lucros da empresa.

Acima de tudo, tenha em mente que seu desempenho passado diz muito sobre como você se comportará se acabar sendo contratado. Um currículo destacando como sua inventividade, ou experiência, aumentou a margem de lucro de seu patrão anterior é uma maneira sólida de conseguir a entrevista.

Em última análise, as corporações estão lá para lucrar. Mostre-lhes como você fez isso no passado e pode ter certeza que isso será lembrado.

O que fazer com esta informação?

Agora que aprendeu o poder de adicionar números, nomes e referências a lucros e dinheiro, você tem o potencial para desenvolver um currículo que fica olhando de perto para a perfeição. Mas como você pode ter certeza que outras pessoas se sentirão da mesma maneira ao lerem o seu currículo?

O próximo passo lhe dará as estratégias específicas que o ajudarão a descobrir potenciais áreas problemáticas.

Comentários

Comentários