Como Estruturar Seu Currículo, Passo a Passo

Deve incluir um perfil profissional?

Deve colocar os conhecimentos linguísticos em separado?

Em que ordem deve colocar as categorias? 

Quando chega a hora de começar a preencher a folha existem muitas perguntas e muitas opiniões.

No entanto, em vez de lhe dar mais uma opinião, deixe que eu lhe mostre a neurociência por trás de minha opinião.

Entender a ciência por trás o ajudará pelo menos de duas maneiras:

  1. Primeiro você entenderá que não precisa se preocupar demais em escolher um modelo de currículo.
  2. Em segundo lugar, aumentará sua confiança de que em breve você estará na posse de um currículo fabuloso.

A Neurociência Por Trás da Estrutura de Um Currículo

Cada momento de cada dia, nosso cérebro tem uma tarefa tremenda: nos manter continuamente ligados ao mundo real. Essa tarefa inclui processar estímulos sensoriais e decidir quais as informações a descartar e quais as informações a que dar atenção. De seguida, o nosso cérebro precisa interpretar toda essa informação, atribuir-lhe um significado e decidir como deve reagir a ela. Tudo isso é feito tão rápido que, de nossa perspectiva, é instantâneo. Por exemplo, na maioria das vezes nós nem notamos que existem umas poucas frações de segundo entre olhar para algo e perceber do que se trata.

Um dos efeitos colaterais de ser forçado a pensar desse jeito rápido, é que simplesmente não há tempo suficiente para acessar todos os nossos conhecimentos sobre um tema, nem tampouco todas nossas memórias relevantes. Quando a memória é acessada, apenas uma pequena percentagem de memórias realmente acaba sendo processada. Atalhos são tomados e generalizações são feitas.

Portanto, quando você tem um cérebro que está sendo constantemente obrigado a avaliar informações dentro de uma pequeníssima janela de tempo, você pode ter certeza que as avaliações finais desse mesmo cérebro são apenas uma aproximação da realidade e não a própria realidade.

Para resumir, podemos dizer que o cérebro humano é muito rápido em nos fornecer uma interpretação geral e condensada da realidade ― ao custo de precisão e equilíbrio.

No entanto, qualquer conclusão que o nosso cérebro atinja dentro dos primeiros segundos em que essa avaliação é efetuada, determina quão intenso é o nosso desejo de continuar a fazer algo, ou a parar de o fazer.

Isso pode ser observado claramente ao analisar o que acontece quando estamos com alguém pela primeira vez. Tanto nós, como a outra pessoa, formamos uma opinião um sobre o outro ― uma opinião que, por definição de quão rápido ocorreu, não pode ser 100% correta. No entanto, é nesta primeira impressão que nós basearemos a nossa reação ― se esta pessoa nos agrada ou não. E, ainda que a outra pessoa seja capaz de contrariar uma primeira impressão negativa, isso não é tarefa fácil.

Portanto, inicialmente é muito mais seguro ser educado e respeitar as normas sociais. Estas incluem apertar a mão, sorrir, e olhar a pessoa nos olhos. Essas ações familiares garantem que nós sobreviveremos ao contato inicial sem acabar sendo rotulados como pessoas estranhas, indignas de tempo e atenção.

Como isso se traduz no processo de preparação de um currículo?

Quando o seu currículo for encarado pela primeira vez, você quer que ele sorria, aperte as mãos e mantenha um bom contato visual ― figurativamente falando. O que isso significa? Significa que você quer que ele tenha uma formatação familiar. Ou seja, você quer que ele esteja escrito em um tipo de letra comum e fácil de ler tal como Arial, Calibri ou Times New Roman e que as letras tenham um tamanho adequado, tal como um tamanho entre 9 e 12. Além disso, você deverá dividir a informação em categorias comuns. Isso permitirá que os olhos do recrutador saibam para onde olhar. Há um tempo para ser diferente, mas no que respeita a formatação, você quer ser familiar.

Estruturando seu Currículo

Você deve colocar seu nome, centrado, na parte superior, seguindo com seus dados pessoais e incluindo pelo menos um endereço de e-mail.

De seguida, você deverá definir várias categorias, onde você estará alistando sua experiência laboral, acadêmica e pessoal.

Esqueleto Básico de um Currículo

  • Escreva seu nome e o seu apelido. Use uma letra de um tamanho maior que o resto do seu currículo. Por exemplo, dois tamanhos acima.
  • Não coloque um título, como “Currículo”.
  • Coloque uma foto. Tome cuidado para não colocar uma foto espontânea. Use uma foto em que tenha uma aparência agradável, mas profissional. Use o formato 4×8.
  • Coloque o seu endereço.
  • Inclua o número de seu celular ou outro telefone de contato e seu e-mail. Tome cuidado com o seu endereço eletrônico. Certifique-se que ele é profissional e não algo como “ze_maluco123@gmail.com.”

Objetivo

  • Está se candidatando a um cargo específico? Mencione isso aqui. Se não está, omita esta seção.

Perfil Profissional

  • Este é um pequeno parágrafo detalhando suas principais características e atributos pessoais.

Resumo de Qualificações

  • Uma breve lista detalhando suas realizações laborais mais importantes e, como o nome sugere, suas qualificações principais.

Experiência Profissional

  • Outra lista, em ordem cronológica inversa. Aqui você detalhará os seus empregos, começando com o seu último emprego, ou com o emprego atual caso não esteja desempregado.

Formação Acadêmica

  • Mais uma lista, também em ordem cronológica inversa. Aqui você colocará informação relativa a sua escolaridade. Note que se tem uma graduação não necessita de mencionar o ensino fundamental ou o médio, visto que estão subentendidos.

Formação Complementar

  • Liste os cursos complementares que tenha feito usando de novo a ordem cronológica inversa. Estes cursos incluem cursos de extensão ou de curta duração. Se não tem nenhum desses cursos omita esta parte.

Conhecimentos Linguísticos

  • Liste o nome dos idiomas que você conhece razoavelmente bem e qual o seu grau de conhecimento. Poderá usar uma tabela.

Aptidões Informáticas

  • Faça o mesmo quanto aos seus conhecimentos de informática.

Informação Adicional

  • Você adivinhou, é uma lista novamente. Aqui você pode falar sobre passatempos ou outros detalhes não relacionados com o trabalho mas ainda assim pertinentes, tais como voluntariado ou atividades extracurriculares.

O nome das categorias apresentado aqui deve ser encarado como uma orientação geral. Por exemplo, muitos currículos poderão usar “Educação” ou “Escolaridade” em vez de “Formação Acadêmica” ou “Idiomas” no lugar de “Conhecimentos Linguísticos” e “Histórico de Trabalho” em vez de “Experiência Profissional”. Basta escolher um título de categoria que é familiar e descritivo. Para efeitos de consistência vamos nos referir a cada uma das categorias da mesma maneira ao longo de todo o livro.

Além disso, alguns peritos sugerem que a ordem das categorias seja ajustada tanto à vaga, quanto ao candidato. De que modo? Por exemplo, imagine que você tem muito pouca ou nenhuma experiência profissional e está se candidatando a seu primeiro emprego. Nessas circunstâncias, você colocaria a categoria “Formação Acadêmica” no topo do currículo, a fim de destacar o que você tem de melhor.

Do mesmo modo, muitos currículos omitem o “Perfil Profissional.” Isso ocorre porque o candidato talvez não consiga pensar em nada suficientemente relevante a ponto de justificar uma entrada no perfil profissional. Então, em vez de construir um perfil pobre, é preferível omiti-lo e deixar que a formação acadêmica fale por si.

No entanto, como você verá em breve, o Perfil Profissional representa uma das principais formas de causar impacto. Em “Como Escrever um Perfil Profissional” pode verificar as perguntas que você deverá colocar a si mesmo a fim de gerar conteúdo de qualidade para esse parágrafo inicial, mesmo se você tiver pouca, ou nenhuma, experiência profissional.

Dicas para dar vida ao esqueleto

Boa formatação de texto, ortografia correta e gramática adequada fazem parte das características familiares que seu currículo deve possuir.

Depois de um pequeno perfil profissional cativante você falará sobre suas realizações, historial de trabalho e formação acadêmica.

Coloque a informação adequada nas categorias certas. A última coisa que você quer é fazer com que o recrutador se canse buscando informação que não foi catalogada adequadamente. Isso significa que se seu conhecimento de Inglês é elevado e você alistou isso em seu perfil profissional e entre as suas qualificações, deverá fazer menção disso novamente ao listar seus conhecimentos linguísticos.

Porquê?

Porque se o conhecimento de uma língua for fundamental para o lugar a que você está concorrendo, e se o recrutador tiver muitos currículos para analisar, ele poderá olhar apenas para as categorias relacionadas com idiomas a fim de excluir rapidamente os currículos que não se adequam ao que ele está buscando.

Em suma, tipos de letra difíceis de ler, erros gramaticais ou de ortografia e má formatação ― tudo isso se traduzirá em uma primeira impressão ruim. Tal e qual como quando você encontra uma pessoa pela primeira vez e ela se recusa a sorrir ou a apertar as mãos, um currículo mal formatado diminuirá suas chances de agarrar a atenção e o interesse do recrutador.

E já está. Você já está bem adiantado. Agora só necessita apenas de conteúdo para preencher adequadamente cada uma dessas áreas. Precisa de músculos para o seu esqueleto por assim dizer. Com as perguntas certas isso será fácil! Esse é nosso próximo passo. Siga agora para: 31 Perguntas Diretas Para Criar um Curriculo Poderoso, Mesmo Se Você Nunca Trabalhou na Vida.

Comentários

Comentários